Edital para pavimentação da estrada do Marmeleiro é publicado

Abertura das propostas acontece no dia 19 de março. Obra de pavimentação de 12,6 quilômetros…

08 de fevereiro de 2024 às 22h19m

Abertura das propostas acontece no dia 19 de março. Obra de pavimentação de 12,6 quilômetros está orçada em R$ 101 milhões/Texto de Karin Franco, com entrevista realizada por Rodrigo Zub e Juarez Oliveira

Trecho de 12,6 km entre a área urbana e a comunidade de Marmeleiro será pavimentado. Foto: Edinei Cruz

O edital de licitação que definirá a empresa que vai pavimentar a estrada do Marmeleiro, no interior de Rebouças foi publicado na quarta-feira (7). A abertura das propostas acontece no dia 19 de março, no Portal de Compras do governo estadual.

A obra em Rebouças irá ligar o município à rodovia PR-364, que está em sua fase final de execução. Serão mais de 12 quilômetros de pavimentação, com duas faixas de rolamento com três metros e meio e acostamentos de dois metros nas duas pistas. O pavimento será de concreto betuminoso usinado a quente (CBUQ) com espessura de cinco centímetros, sobre base de brita graduada simples. O valor máximo da obra está previsto em R$ 101.396.000,000.

O projeto da obra inclui a substituição da ponte sobre o Rio do Salto por uma nova estrutura. A nova ponte deverá ter uma extensão de 43,80 metros, largura de 11,80 metros e vão-livre de 35 metros.
Consta no projeto a substituição dos bueiros por peças maiores, para facilitar a inspeção e limpeza, além da implantação de três novos canais de concreto em locais onde rios de pequeno porte cruzam a rodovia. A nova rodovia receberá sinalização e o trecho que liga com a via municipal, na altura do km 6, receberá iluminação.

O trecho no Marmeleiro pertencia ao município de Rebouças e após a estadualização foi transformado em rodovia pelo governo estadual, que passou a se chamar PR-990. Em entrevista ontem no Meio Dia em Notícias, o secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex, falou sobre o processo. “Essa é uma rodovia considerada a rodovia mais nova do Paraná. Ela não existia. Ela foi estadualizada. É um trecho municipal em Rebouças e nós estadualizamos porque eu assumi um compromisso com o governador Ratinho Júnior e também com os deputados da região, de que nós faríamos, com a pavimentação do trecho São Mateus e Irati, sem dúvida, por justiça, a cidade de Rebouças não poderia ficar de costas para essa rodovia e nós assumimos o compromisso de ligação”, conta o secretário.

Quer receber notícias pelo WhatsApp?

Ainda não há data para o início das obras, mas o secretário espera que a pavimentação comece ainda no primeiro semestre. “Nós vamos abrir as propostas no dia 19 do mês que vem. No dia 19 do mês que vem, nós poderemos ter a empresa. Nós temos que respeitar o processo legal. Se não houver nenhuma contestação, nós estamos aqui sempre à disposição da sociedade e dos órgãos de controle, nós teremos uma empresa no mês de março. Por ser uma obra muito grande, nós estamos falando de uma obra grandiosa, é claro que para fazer toda a estrutura de operação, você tem um prazo para instalação de canteiro de obras. Nós queremos ter essa obra em andamento neste ano. Se depender do nosso trabalho, nesse primeiro semestre ainda”, disse.

De acordo com o edital, a empresa que será escolhida para executar a obra tem 18 meses para concluí-la. O prazo começa a ser contado após a assinatura do contrato e emissão da ordem de serviço.

Já a obra da PR-364, que liga Irati a São Mateus do Sul, está chegando em sua reta final. De acordo com Sandro Alex, o próximo passo é a construção de um viaduto, conectando a PR-364 com o bairro Riozinho e ao município de Irati. Ao todo, serão investidos quase R$ 25 milhões nesta obra, que será executada pela TCE Engenharia Ltda. “Nós estamos concluindo, já está praticamente concluída a obra até São Mateus do Sul. Nós tivemos que fazer mais um edital para a conexão da PR com Irati, com a BR-153 porque nós precisávamos de um novo viaduto, de um trevo de acesso a uma rodovia federal, que é aquela chegada no Riozinho, próximo à Unicentro e de toda aquela comunidade. Nós já licitamos, já contratamos a empresa e já demos ordem de serviço, que é a empresa que vai concluir a PR-364, conectando a PR-364 com a cidade de Irati e com a BR-153. Eles têm que realizar esse último trecho da obra, que seria o trevo. A conexão da estrada até São Mateus do Sul, praticamente, está pronta. As pessoas já utilizam a rodovia”, conta o secretário.

A expectativa é que a obra da PR-364 termine esse ano. “Nós gostaríamos de ter essa obra [concluída] nesse ano também. A obra finalizada. Mas eles têm um prazo de um pouco mais de 450 dias. Se contarmos desde a data do ano passado, eles vão entregar essa obra esse ano”, disse.

Pavimentação da estrada da Barra do Gavião: Recentemente, o agricultor Nivaldo Bartoski (Tucho) esteve na rádio Najuá para comentar sobre a possibilidade de pavimentação da estrada da Barra do Gavião, que foi um pedido apresentado por ele ao secretário em 2023.

Em entrevista, Bartoski disse que já foi feita uma medição do trecho, porém, ainda é necessário um esforço da prefeitura para a confecção do projeto para que o município consiga obter a liberação de recursos do governo estadual.

Ao ser questionado sobre o assunto, Sandro Alex disse estar aberto aos pedidos, mas ressaltou a necessidade de um projeto para dar prosseguimento à reivindicação. “Eu estou sempre à disposição. Nós temos inúmeros convênios com município. Eu só fico na dependência de projetos do município. Aqui eu tenho que ser justo porque o prefeito tem apresentado projetos de pavimentação de ruas. Recentemente, ele nos trouxe um projeto para uma nova ciclovia que é muito importante na cidade de Irati. É uma ciclovia que fica às margens da BR-153 e que faz uma ligação importante com o parque. É um projeto muito bem feito. Eu dependo de projetos. Se o município tem projeto para essa estrada, para esse trecho rural, nós vamos tentar buscar o recurso. É claro que o Governo do Paraná não tem recursos infinitos. Nós lutamos para cada obra ter um recurso, mas havendo um projeto, nós vamos tentar buscar”, conta o secretário.

Em outra oportunidade, a secretária de Arquitetura, Engenharia e Urbanismo de Irati, Jéssica Custódio, disse à reportagem da Najuá que um projeto é realizado após a sinalização que há recursos para a obra. “Nós fazemos a conclusão do projeto após a viabilidade financeira ou após a sinalização do recurso. Por exemplo, vai lá o prefeito Jorge [Derbli] vai tentar um recurso para uma determinada pavimentação. Nós fazemos um levantamento prévio, um custo estimado. Ele [Jorge] solicita a um deputado, ao governo do estado, ao governo federal e aí se sinalizado que o recurso está em conta ou está aberto que vamos inserir as documentações de projeto no sistema. Essa obra da Barra do Gavião, nós temos esse levantamento estimado, mas o projeto em si não, porque ainda não foi sinalizado esse recurso”, disse a secretária.